Botucatu ganha 7º Parque Tecnológico do Estado

Botucatu talvez não tenha a real dimensão hoje, mas talvez daqui a 20 anos lembre-se do dia 14 de abril de 2015. Não apenas pelo 160º aniversário de emancipação-política do Município, mas pelo presente recebido naquele dia e que escreveu uma nova e importante passagem na história de desenvolvimento da “Cidade dos Bons Ares”: a inauguração do Parque Tecnológico Botucatu. Este foi o sétimo ParqTec aberto no Estado de São Paulo. São José dos Campos, Sorocaba, Ribeirão Preto, Piracicaba, Santos e São Carlos já possuem tais empreendimentos voltados à promoção de ciência, tecnologia e inovação. No Estado de São Paulo, existem 28 iniciativas para implantação desses empreendimentos. 
 
São espaços que oferecem oportunidade para que empresas transformem pesquisa em produto, aproximando os centros de conhecimento (universidades, centros de pesquisas e escolas) do setor produtivo (empresas em geral). Esses ambientes propícios para o desenvolvimento de Empresas de Base Tecnológica (EBTs) e para a difusão da Ciência, Tecnologia e Inovação transformam-se em locais que estimulam a sinergia de experiências entre as empresas, tornando-as mais competitivas. 
 
O Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística. Possui uma área total de 360 mil metros quadrados, onde abriga o Centro de Gestão Tecnológica - Fernando Bandeira de Mello Marins, edifício administrativo de 1.900 metros quadrados que conta com salas de reunião, espera e treinamento, instalações para diretoria, secretaria, administração, compras, manutenção, recepção, copa, sanitários, área de atendimento, hall, dois anfiteatros e auditório para 190 pessoas.
 
Também conta com uma área com 18 lotes de aproximadamente 1.500 metros quadrados, com completa infraestrutura destinados a instalação de Centros de Pesquisa e Desenvolvimento públicos e privados; outra área de 33 mil metros quadrados para a construção de um Centro Empresarial e uma Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de cerca de 5.500 metros quadrados; além de uma área para expansão de 220 mil metros quadrados.
 
O Governo de São Paulo investiu cerca de R$ 10 milhões no parque, sendo R$ 340 mil em estudos e R$ 9,7 milhões na construção do núcleo administrativo. Já a Prefeitura de Botucatu destinou R$ 1,4 milhão em recursos para a iniciativa. O Parque Tecnológico de Botucatu está localizado às margens da Rodovia Gastão Dal Farra, a três quilômetros da Rodovia João Hipólyto Martins (SP-209) – que liga a Rodovia Castelo Branco a Botucatu.
 
Desenvolvimento regional
A inauguração do Parque Tecnológico de Botucatu contou com a presença do vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, que no ato representou o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. O evento ainda reuniu o prefeito de Botucatu, João Cury Neto; deputado estadual, Fernando Cury; vice-reitora da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Drª Marilza Vieira Cunha Rudge; membros da Associação Parque Tecnológico Botucatu [organização social responsável pela gestão do Parque]; secretário municipal de Desenvolvimento, Edison Baptistão; secretário adjunto de Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Costa; entre outras autoridades importantes do Município e região.
 
Em seu discurso, o prefeito João Cury Neto também valorizou nomes importantes dentro do processo de viabilização do Parque Tecnológico Botucatu, entre eles os dos ex-secretários de Desenvolvimento, Ricardo Veiga; da Indústria, Paulo Urbanavicius; e de Ciência e Tecnologia, Dr. Paulo Machado; do prof. Edvaldo Domingues Velini, presidente da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, e da Fundação de Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp); além do próprio governador do Estado, Geraldo Alckmin. Segundo ele, a união de tais atores demonstra a tradicional vocação de Botucatu na área de educação e tecnologia e quanto isso pode trazer de benefícios à população no futuro.
 
“O governador, ao liberar os recursos para a construção do Parque Tecnológico em Botucatu, ainda em setembro de 2009, demonstrava o quanto ele acredita no potencial do Centro Oeste Paulista, neste quadrilátero por onde passa boa parte da ciência e pesquisa produzida no estado. O que o Parque Tecnológico tem que fazer é estimular que essas teses e projetos não fiquem apenas nas prateleiras das universidades, mas que possam virar produto e melhorar a vida das pessoas como, por exemplo, esta primeira vacina contra a dengue que está sendo estudada [pelo Instituto Butantan]”, argumenta.
 
O vice-governador, Márcio França, justificou a ausência do governador Geraldo Alckmin, que no último dia 2 de abril perdeu seu filho caçula Thomaz Alckmin após um desastre aéreo, e parabenizou a classe política regional pela mobilização que resultou na conquista do ParqTec. Também valorizou  a importância dada pelo Governo do Estado na política adotada na área de desenvolvimento e tecnologia, e lembrou que a busca por inovação começou com Mário Covas e foi abraçada por Geraldo Alckmin. 
 
“Juscelino [Kubitschek], quando idealizou a criação de Brasília, acharam que era uma coisa de louco. O mesmo podemos falar da criação dos Parques Tecnológicos, sustentada pelo governador Geraldo Alckmin. Os parques são espaços de atração do pensamento humano e, consequentemente, empresas. E muita gente não se lembra que tudo isso é fruto da própria contribuição do povo paulista, que faz do Estado de São Paulo o mais bem estruturado na parte de logística e tecnologia do País. Queremos ser o trem bala do resto desta locomotiva e tenho certeza que os parques tecnológicos, como os de Botucatu, contribuirão para esse desenvolvimento à nível nacional”, afirma.
 
Botucatu possui um forte potencial na área de ciência e pesquisa biológica, com a presença de cinco unidades da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), além de uma Escola Técnica Estadual (Etec) e uma Faculdade de Tecnologia (Fatec) do Centro Paula Souza e outras universidades. Para trabalhar em parceria com o novo empreendimento, a iniciativa privada da região dispõe de uma liderança tecnológica expressiva em seus segmentos de atuação, com a concentração de micro, pequenas, médias e grandes empresas, como Embraer-Neiva, Eucatex, Duratex, Caio Induscar e Grupo Centroflora.
 
Homenagem
Também foi organizada uma justa homenagem a Fernando Bandeira de Mello Marins, empresário que nasceu em São Paulo, mas construiu toda sua vida em Botucatu, e que agora dá nome ao Centro de Gestão Tecnológica do Parque Tecnológico Botucatu. Além da placa que conta um pouco da história de Marins, um busto com a imagem dele foi instalada no saguão de entrada do núcleo administrativo. Fernando Marins criou a Bom Sinal, única empresa 100% brasileira a fabricar trens de passageiros no Brasil. Faleceu no dia 20 de julho de 2010.
 
“A vida do nosso pai sempre foi marcada por desafios e inovação, tornando-o um grande empreendedor, construindo produtos tecnológicos como é o caso dos VLTs [Veículos Leves sobre Trilhos], compatíveis com a maioria das vias férreas já existentes. Esperamos que este parque tecnológico seja marcado por estes mesmos princípios, incentivando o desenvolvimento de novas tecnologias”, discursou uma de suas quatro filhas, Carolina.
 
“O Fernando [Marins] enxergava além da curva. Era um visionário, que acreditava e ajudou a transformar Botucatu. Hoje a Bom Sinal, empresa genuinamente botucatuense, já chega até nos rincões deste País, como no interior do Ceará, onde o VLT já contribui para o sistema de  transporte público. Dar o nome do Fernando a este Centro de Gestão no Parque Tecnológico de Botucatu é um gesto simples, mas que entendemos ser de grande importância e justiça a este grande homem”, comentou o prefeito João Cury.
 
Concessão de áreas
As empresas interessadas em se instalar no Parque Tecnológico devem entrar no site www.parquetecnologicobotucatu.org.br, onde há detalhes dos dois Chamamentos Públicos voltados à seleção de projetos interessadas à permissão e concessão de áreas do empreendimento. 
 
Até o momento, 16 empresas já assinaram um protocolo de intenções com interesse formal de se estabelecerem no Parque Tecnológico Botucatu. Mais informações pelos telefones (14) 3813-4659 (Parque Tecnológico), (14) 3811-1424 (Subsecretaria de Ciência e Tecnologia) ou e-mail contato@parquetecnologicobotucatu.org.br. 
 
15/04/2015 - Igor Medeiros